Praça Presidente Vargas é reaberta em Extrema

Foi entregue na última sexta-feira, 20, a segunda etapa das reformas das praças centrais de Extrema. Após alguns meses de reforma, a Praça Presidente Vargas foi entregue à população após o trabalho de revitalização feito no local, cujo projeto tem como grande objetivo resgatar a originalidade das praças centrais para as famílias extremenses e visitantes do município. Segundo a engenheira responsável, Fabiana Cortez Franco, a idéia é que com a reforma completa das praças centrais, o local retome e ganhe ares de praça de interior, com elementos que harmonizem com seu entorno: ” O projeto já prevê que as praças sejam totalmente acessíveis a cadeirantes, idosos e a população em geral. A praça conta com alguns elementos marcantes, tais um conjunto de fontes, que por si só já é um elemento muito presente nas praças mais tradicionais, concebido para homenagear o Projeto “Conservador das Águas”, reconhecido pela sua importância relacionada ao Meio Ambiente e que por vezes elevou o reconhecimento de Extrema como uma referência no manejo de áreas de proteção ambiental. Ela traz consigo uma escultura ao centro que mostra o Homem do Campo como símbolo de todas as pessoas que respeitam a terra e seu entorno por meio de um uso sustentável e responsável. Dela verte a água de seu chapéu como uma poética homenagem à vida que brota através da água. As outras duas fontes que compõem o conjunto representam as nascentes que são por sua vez o foco do projeto de conservação.  A escultura foi realizada pelo artista Pedro César que já tem seu trabalho realizado em diversas partes do País”, define.

O espaço conta ainda com mosaicos assinados por Leonardo Posenato, um dos mosaicistas mais reconhecido no Brasil. que ilustram duas lindas rosas que marcam a Rota das Rosas junto ao Santuário de Santa Rita. A escolha desta plataforma artística é também homenagear o artista plástico e mosaicista italiano Alfredo Mucci, que viveu por um período na cidade e que tem boa parte de seus trabalhos expostos no Santuário de Santa Rita de Cássia, como a via crucis feita cobre martelado.

Todo a pavimentação da praça foi trocada, dado o estado de conservação das peças anteriores, no entanto o sistema construtivo do piso intertravado e ecológico, agora com uma paginação mais alegre.  O paisagismo trará layout com curvas onde através da textura e cores das flores e folhas o visitante terá diferentes cenários. Para garantir a qualidade das plantas foram utilizados 30m³ de composto substrato balanceado com nutrientes que associados ao sistema de irrigação trarão qualidade e uso racional de água ao projeto, pois é possível ajustar a programação nos diferentes setores e segundo a fase de desenvolvimento das plantas e estações do ano. Os canteiros foram redesenhados criando espaços mais intimistas e preenchendo de cores e texturas, juntamente ao paisagismo, o espaço e mantendo livre o eixo de visualização à Igreja, elemento arquitetônico mais marcante da Praça. Para zelar pelas plantas o espaço contará com um funcionário do Eixo de Parques e Jardins que fará toda as manutenções, reposições e ajustes no sistema de irrigação todos os dias.

A iluminação também foi valorizada com a instalação de postes de luz com estilo colonial de praças de interior e luminárias nos canteiros dando um atmosfera mais cênica. No local, foram instalados ainda novos mobiliários feitos de madeira plástica e serralheria artística, sendo retirada do meio ambiente cerca de 700 mil garrafas pets e embalagens de creme dental, sendo de maior durabilidade e sustentável.  Para garantir os cuidados com a nova praça, foi contratado vigia 24 horas, responsável por manter a organização e segurança.

Com a reforma toda o contexto histórico foi valorizado, recuperando ares de cidade de interior, o que valorizou a fachada do Santuário de Santa Rita de Cássia, marco histórico do município, visto que a história dos espaços que correspondem à Praça Presidente Vargas (antigo Largo da Matriz) está associada à consolidação do núcleo de povoamento que deu origem ao Município de Extrema. De acordo com documentos localizados no Arquivo da Cúria Metropolitana de São Paulo e no Arquivo Paroquial de Camanducaia, a Capela de Santa Rita foi erigida nas proximidades do Registro do Jaguari, um dos postos fiscais que foram implantados na atual região Sul de Minas Gerais por determinação datada de 1764, de Luís Diogo Lobo da Silva, então Governador da Capitania de Minas Gerais. Como palco de acontecimentos que marcaram a memória dos moradores de Extrema, as referidas praças consolidaram-se, ao longo do tempo, como os principais locais de sociabilidade do povoado, servindo como cenários para festas religiosas e cívicas e como locais de encontro dos moradores em momentos de trabalho, de devoção, de luto e de lazer.

A revitalização tornará as praças atrativas também para os turistas. Segundo o prefeito João Batista da Silva esse é mais um presente para toda a comunidade de Extrema e seus visitantes: ” Embora Extrema esteja passando por um processo de desenvolvimento e crescimento muito particular no país, o turista que vem à cidade busca encontrar aqui elementos típicos do interior. Mais do que isso, a praça é um patrimônio do cidadão extremense. Todos nós devemos ser os turistas de nossa própria cidade. Ela deve ser vivida e apreciada sempre por todos nós. Meu sentimento nesse momento é de pertencimento a uma cidade que acolhe a todos os que aqui vivem e a todos aqueles que nos visitam. A revitalização também fortalecerá o comércio local do entorno que se beneficiarão com a nova configuração das praças após a conclusão total das obras”, define.

Desde abril de 2018, o projeto de revitalização foi pensado por um comitê formado por representantes das secretarias de Turismo, Cultura, Meio Ambiente e Obras e Urbanismo. Esse grupo debateu amplamente a revitalização com a sociedade envolvida diretamente com as praças centrais, como moradores, comerciantes, taxistas, representantes do Santuário de Santa Rita, da Feira do Produtor Rural, da Produção Associada ao Turismo, da Crearte e da Escola Estadual “Odete Valadares”. A proposta também foi apresentada aos vereadores, aos funcionários da Prefeitura e ao Conselho Municipal de Turismo (Comtur), instância de governança local onde se discute as questões do Turismo. Após as sugestões de cada setor, foi finalizado o projeto que vai transformar o complexo em um dos cartões-postais de Extrema, visto que as praças centrais de Extrema integram a Rota das Rosas, uma das cinco regiões turísticas que orientam o fluxo de visitantes que chegam à cidade.

Segundo a Arquiteta Marina Vizini, responsável pelo Projeto Arquitetônico este projeto foi um grande desafio, não por sua complexidade executiva ou formal, mas por sua importância em ser responsável pelo resgate de identidade da população de Extrema: “Como se resgata uma memória afetiva com uma nova construção? Este foi o desafio. Por isso, a grande preocupação foi não trazer linhas modernas ou contemporânea que negassem seu entorno e sua história, mas sim trazer através da forma um espaço confortável ao convívio das pessoas, para que se queira permanecer, interagir e a partir daí escrever novas memórias”, define.

Fonte: ASCOM – Prefeitura de Extrema

praça

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam