Projeto Semeando Água realiza plantio com voluntários de empresas da região

Se a sua empresa tem interesse em participar das próximas ações
ou ainda de obter mais informações entre em contato com a equipe.

Mais de 40 funcionários de empresas localizadas na região do Sistema Cantareira e da Refinaria de Paulínia (Replan/Petrobras) participaram em março (13) do Projeto Semeando Água, que busca contribuir com a segurança hídrica do Sistema Cantareira. O projeto é uma iniciativa do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas, com patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal.

A ação em Nazaré Paulista teve como como objetivos aproximar os funcionários da Replan de um dos projetos patrocinados pela Petrobras e ao mesmo tempo compartilhar com os participantes a importância de alternativas para melhorar o uso do solo na região, algo fundamental para o Sistema Cantareira sob três aspectos: social, ambiental e econômico. A iniciativa contou com a participação além de funcionários da Replan, da Dynamic Air, Pita Bread, Nautilus e da Prefeitura de Nazaré Paulista.

Plantio na prática

ila_190313_387

Para compreender as ações que precisam ganhar escala na região nada melhor do que colocar as mãos na terra. Março marca o fim da temporada de chuvas e assim o término do período ideal para plantios que teve início em outubro. Para aproveitar esse momento-chave e mobilizar de fato os participantes a programação teve início com a apresentação de Karin Hanzi especialista em agricultura sintrópica.

“O ser humano tem tanto a capacidade de destruir quanto de regenerar e com a agricultura sintrópica ele tem o potencial de acelerar a sucessão natural. Uma área que leva 100 anos para atingir a regeneração natural pode ser comparada a uma área de agrofloresta, a partir da agricultura sintrópica, de 5 a 10 anos. O que a gente usa na agrofloresta é matemática, lógica de tempo da planta, luz que ela precisa e a cobertura do solo”, pontuou a especialista.

Após as primeiras orientações sobre agricultura sintrópica, o grupo seguiu para uma área dividida em dois canteiros, na propriedade do Sr. Ernani Barbosa, onde o solo já estava preparado. Nele, os voluntários puderam colocar em prática os ensinamentos compartilhados por Karin. Para Ronald Castro Bianco, gerente de planejamento e controle da Replan, a vivência ampliou os conhecimentos. “Eu já tinha ouvido falar de agricultura sintrópica, mas não com tantos detalhes. No projeto vi como fazer, como aproveitar melhor o solo e como produzir com mais qualidade e quantidade. A didática da explicação da Karin, do Epicentro Dalva é muito boa, ela traz o conhecimento com muita emoção fazendo com que a gente assimile com maior facilidade o que deve ser feito”.

Para Daniel Motta, da área de Responsabilidade Social da Replan, entre os benefícios da agricultura sintrópica merece destaque a ampliação de possibilidades para o agricultor. “Em especial para o pequeno produtor rural é importante ter essa possibilidade de produzir outros produtos na entressafra, diferente do que acontece na monocultura. A explicação sobre agroecologia que tivemos com o projeto foi bem clara e mostra que qualquer um pode utilizá-la”.

O uso do solo no Sistema Cantareira

Durante a programação, o grupo teve a oportunidade de conhecer com Alexandre Uezu, coordenador geral do Projeto Semeando Água, os desafios da região do Sistema Cantareira e de compreender o contexto em que a Agroecologia, a partir da agricultura sintrópica, passou a integrar o projeto. “A água que é produzida pelo Sistema Cantareira ela vai tanto para a região metropolitana de São Paulo quanto para a região de Campinas, Paulínia, onde está a Replan. Se a gente pensar nessa questão de quantidade e qualidade de água a gente tem que cuidar muito bem do solo dessa região. Por esse motivo, o Projeto Semeando Água trabalha com planejamento da paisagem, restauração de APPs e manejo de pastagens, mas temos outras alternativas, como essa iniciativa de agrofloresta que vocês participaram, além da silvicultura de nativas – que é trabalhar com espécies nativas com a finalidade da comercialização, agregando valor para essas propriedades de maneira sustentável”, comenta.

Segundo Uezu, por conta da proximidade da região com grandes centros, como São Paulo, Campinas e São José dos Campos, as ameaças são evidentes. “O que a gente não quer do Cantareira é que ele vire uma Guarapiranga, por isso existem dois macrodesafios:  a restauração de 21 mil hectares no entorno de rios e nascentes e o manejo das pastagens principalmente em 100 mil hectares que correspondem a 46% da região. Melhorando essas condições teremos tanto o ganho ambiental com a qualidade e a quantidade de água, quanto o ganho social para garantir que esses proprietários continuem nessa região”.

Para Ana Clelia Ferreira, gerente de otimização da Replan, a visita ao Projeto Semeando Água ultrapassou as expectativas. “Achei ótima a experiência. Eu já tinha uma expectativa alta, mas que foi superada. Realmente essa prática da agricultura sintrópica tem um conceito muito interessante e que pode ser aplicada a tudo, inclusive a gente já fez uma associação com o planejamento estratégico. Desde que cheguei na região sempre tive muita preocupação com a restrição hídrica que aqui é muito grande e realmente é esse tipo de projeto que é a solução, que vai dar sustentação tanto para as áreas mais povoadas, quanto para você conservar os corpos hídricos de toda a região”.

Daniel Ricardo de Carvalho, administrador da Pita Bread, que também integrou o grupo de participantes destaca a importância de projetos como esse. “Foi uma experiência muito legal! A equipe agradeceu muito a nossa participação, mas na verdade somos nós que agradecemos à vocês do IPE, ao Sr. Ernani, à equipe da Karin e a todos envolvidos… porque no final, o benefício do trabalho volta para nós, para nossos filhos, para nossa sociedade. Precisamos de mais pessoas como vocês no mundo! Mais do que água, vocês semeiam esperança. Para isso, contem sempre comigo! Obrigado!”.

Participe das próximas ações

O Projeto Semeando Água busca mobilizar ainda mais funcionários de empresas da região.
Se a sua empresa tem interesse em participar das próximas ações ou ainda de obter mais informações entre em contato com o projeto: semeandoagua-com(@)ipe.org.br ou
(11) 97297-3516.

ila_190313_920

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam