Saiba mais sobre depressão pós-parto e como superá-la

 

 

trintei

Entre o segundo e quarto dia após o parto, quase todas as mulheres sentem-se mais sensíveis e cansadas, com uma tristeza sem motivo, chorosas, reflexivas, com um sentimento de incapacidade de cuidar do filho. “É uma conscientização da responsabilidade de como é importante a criação daquele bebê para que ele se torne um ser humano responsável e feliz. Em geral esta tristeza é breve e não requer uso de medicamento”, explica a coordenadora de obstetrícia do Hospital Fêmina, vinculado ao Ministério da Saúde, Sandra Canali Ferreira.

Nestes casos, os sintomas melhoram espontaneamente com apoio familiar e sem intervenção médica ou psicológica.

Mas, se o quadro persiste, com certa severidade, o diagnóstico de depressão pós-parto precisa de tratamento medicamentoso e apoio integral do companheiro, para que a mãe não se sinta tão sobrecarregada de responsabilidades pela criança. “A mulher sente-se, então, apática, abandona os próprios hábitos de higiene e cuidados pessoais. Algumas não conseguem levantar da cama, não têm interesse em amamentar o bebê.

De acordo com a obstetra não há como saber se uma mulher terá ou não depressão pós-parto durante a gestação. Algumas mulheres têm mais probabilidades, como as que já tiveram algum tipo de depressão, as que na gravidez anterior apresentaram depressão pós-parto, aquelas que não desejavam a gravidez ou passaram por momentos difíceis durante a gestação. “Os sintomas do estado depressivo dependem da história de vida, bem como, no aspecto fisiológico, das mudanças bioquímicas que se processam logo após o parto”, explica. E acrescenta: “É patologia. Exige medicamento, terapia, exercício físico e alimentação balanceada”.

Fonte: Ana Paula Ferraz / Agência Saúde

Em entrevista ao jornal O Registro a blogueira Isabelle Araújo Carvalho de Andrade, 34 anos, moradora do Sul de Minas, advogada por formação e blogueira por paixão, contou como venceu a depressão. Ela enfrentou a depressão pós parto e  hoje ajuda muitas mães e mulheres a enfrentarem essa etapa com seu blog De Repente Trintei.

Como surgiu o Blog De Repente Trintei? O De Repente Trintei surgiu no meu momento de depressão pós-parto. Durante esse período eu estava lutando bravamente contra a depressão, e logo em seguida perdi minha amada vó Laura. Foi um ano muito difícil para mim, um ano em que fui provada nos meus limites. Mas foi um ano de descobertas, foi durante o ano de 2012 que comecei a me dedicar ao De repente Trintei, durante esse período de grandes perdas e sofrimentos  vi surgir em minha vida uma nova realidade e um novo talento que eu nem imaginava existir dentro de mim: o de interagir com mulheres de várias idades e, mais do que isso, amar profundamente muito tudo isso! Antes… eu imaginava que tinha nascido para fazer Direito com o objetivo de alcançar a magistratura.

Como foi sua gravidez e quando percebeu que estava com depressão pós-parto? As coisas não transcorreram bem à partir do 7º mês de gestação, quando minha pressão começou a subir. Num sábado à noite ela chegou a 16×10, ao que meu marido me levou apressadamente ao hospital. Com menos de 03 horas de internação a bolsa rompeu, e como já estava de madrugada, o médico me informou que o parto seria feito logo pela manhã. Entramos em pânico, pois Elisa ainda era muito pequenininha para encarar o mundo aqui fora! Mas sabíamos que Deus estava no controle de todas as coisas, então acalmamos nosso coração!

Elisa nasceu no dia 18 de dezembro de 2011 e ficou internada na U.T.I por 04 dias (apesar de não apresentar qualquer problema de saúde que justificasse sua permanência lá). Foi terrível para mim estar num quarto de hospital, receber visitas e não poder ter acesso a minha filha (apenas nos horários estabelecidos pelo hospital).

Após 10 dias do nascimento de Elisa, entrei num quadro depressivo que, com o tempo, foi se agravando. O médico me prescreveu uma medicação leve, mas ela me impediu de amamentar Elisa (ela tomou apenas o colostro). Paralelamente, o excesso de peso me deixava apavorada, pois 26 kg estavam acumulados pelo meu corpo. Eu não esperava continuar usando as mesmas roupas de grávida por tanto tempo! Tive duas opções na minha vida naquele momento: me entregar à depressão e me tornar vítima das circunstâncias ou tomar as rédeas da minha vida e mudar a situação!

Todos os acontecimentos anteriores foram alheios à minha vontade e eu tive que me conformar. Mas chega um momento na vida em que lhe é dada a oportunidade de escolha e é aí que você decide quem você quer realmente ser! Eu poderia continuar sendo vítima, mas optei por virar o jogo!

Além da dieta, fazia 01 horas diária de caminhada na esteira e consumia muita água. De 87 kg fui para 61 kg em apenas 03 meses. Durante esse período não ingeri doces, evitei ao máximo carboidratos (mas não cortei totalmente pois não faz bem ao corpo, além de não se ter energia para caminhar e muito menos cuidar de um bebê).

Muitas pessoas não acreditaram que consegui emagrecer sozinha. Diziam que eu tinha feito lipo, macumba, sei lá o que mais. O que eu vejo é que existem dois tipos de pessoas: as que se conformam e as que não se conformam. Eu sou uma inconformada com situações ruins: acho que é isso que me define. 

Como superou a depressão?  Para superar a depressão, embora me mantivesse dentro de casa, eu me comunicava com as seguidoras do blog e manifestava meus sentimentos em forma de crônicas (não achei que seriam lidas!). Além disso, fazia dieta e caminhadas diárias na esteira (exercícios físicos foram fundamentais para no processo). Enquanto eu colocava dicas de beleza no blog, indiretamente eu comecei a me cuidar novamente, pois eu tinha que testar os produtos de beleza e falar sobre eles. Enquanto eu me desafiava a escrever o blog e a ouvir mulheres de várias idades, que me relatavam vários problemas, o meu foco mudou. Comecei a enxergar vida, alegria… embora os hormônios estivesse desequilibrados, a minha mente e o meu emocional lutavam bravamente para reagirem. E a luta durou cerca de 1 ano e dois meses, quando realmente eu consegui enxergar o mundo colorido novamente.
Eu não imaginava que o Trintei atingiria essa proporção. O que seria para mim uma terapia, hoje se tornou um estilo de vida. Hoje o meu grande desafio é conciliar a minha vida de mãe, advogada, blogueira, e manter tudo em harmonia. Devido ao grande alcance do blog e ao número de seguidoras que, no momento, é de 352.000 mil mulheres, preciso traçar novas metas e gerar muito mais conteúdo. Gosto sempre de manter o blog atualizado nos mais diversos assuntos, mas nem sempre isso é possível! Mas sinto que estou no caminho certo!

Confira o blog e seja você também uma seguidora de Isabelle: http://derepentetrintei.com/

imagemtrinteiimagem

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam