Alunos do Senai Extrema apresentam projetos de automação

bone

Projetos foram desenvolvidos de acordo com a plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, conhecida como Arduíno

Nesta quinta-feira, dia 21 de junho, os alunos do curso de eletrônica do Senai de Extrema, que trabalham na Multilaser, através do programa jovem aprendiz, apresentaram 05 projetos de automação.

De acordo com o instrutor do curso, Stanley César, os projetos foram desenvolvidos dentro de uma das disciplinas do curso, abrangendo todo o conhecimento adquiridos em todas as disciplinas, de forma a agregar todo o conteúdo do curso. “Podemos dizer que é um TCC do curso”, disse o instrutor.

A proposta inicial, dada pelo instrutor do curso, era que os projetos deveriam ser social, de automação, segurança e demais variados.

Um dos projetos desenvolvidos foi o Big Hero, onde um carro autônomo é dirigido pelo aplicativo do celular através do Bluetooth, transferindo o sinal, sem fio, para o carrinho.

Outro projeto é o Pet Food, um alimentador automático de ração para cães e gatos. Onde a ação é que a ração é disparada de tempos em tempos, ela é programada de forma independente, onde o usuário fará a programação desejada para alimentar seu pet.

O Home Safety, esse projeto tem como objetivo a segurança, onde os alunos colocaram um sensor na escada, para evitar acidentes, ou de um deficiente visual, ou criança, ou ainda idoso que esteja em risco de queda, ao estar em situação de risco o sensor é disparado, soando um alarme avisando que a pessoa está em risco. O projeto acrescenta também um outro dispositivo, por bluetooth, via celular e aplicativo, de iluminação e ventilação. O projeto agregou automação e a parte social ao mesmo tempo.

Outro projeto, na área social, é o Boné com Sensor para cegos. Este projeto foi desenvolvido para deficientes visuais, onde na ponta de um boné foi colocado um dispositivo (sensor) que avisa sobre obstáculos a frente, vai monitorando os objetos a frente e emite sons intermitentes a medida que vai se aproximando do objeto ou obstáculo.

E o projeto 007, onde existem alguns pontos de laser (infravermelhos), com gelo seco, que devem ser transpostos. Esse projeto é mais um jogo.

Todos os projetos foram desenvolvidos de acordo com a plataforma Arduíno, que é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, projetada com um microcontrolador Atmel AVR com suporte de entrada/saída embutido, uma linguagem de programação padrão, a qual tem origem em Wiring, e é essencialmente C/C++. O objetivo do projeto é criar ferramentas que são acessíveis, com baixo custo, flexíveis e fáceis de se usar por principiantes e profissionais. Principalmente para aqueles que não teriam alcance aos controladores mais sofisticados e ferramentas mais complicadas.

Pode ser usado para o desenvolvimento de objetos interativos independentes, ou ainda para ser conectado a um computador hospedeiro. Uma típica placa Arduíno é composta por um controlador, algumas linhas de E/S digital e analógica, além de uma interface serial ou USB, para interligar-se ao hospedeiro, que é usado para programá-la e interagi-la em tempo real. A placa em si não possui qualquer recurso de rede, porém é comum combinar um ou mais Arduínos deste modo, usando extensões apropriadas chamadas de shields. A interface do hospedeiro é simples, podendo ser escrita em várias linguagens.

007 2007big herohomepet

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam